Governo quer frear concessão de benefícios do INSS pela Justiça

15/05/2019 Imprimir Enviar E-mail

Caio Taniguchi comenta assunto à Gazeta do Povo

O governo busca, com a reforma da Previdência, reduzir os benefícios previdenciários que são concedidos através de ordem judicial. A equipe econômica inseriu na proposta um artigo que proíbe a Justiça de conceder ou aumentar benefício previdenciário sem indicar fonte de custeio, e outros dois artigos que dizem que é de competência da Justiça Federal julgar causas previdenciárias, e não da Justiça Estadual.

Para tentar diminuir esse volume de pagamentos, a reforma da Previdência traz o seguinte artigo (195, parágrafo quinto): “Nenhum benefício ou serviço da seguridade social poderá ser criado, majorado ou estendido por ato administrativo, lei ou decisão judicial, sem a correspondente fonte de custeio total”.

Caio Taniguchi Marques, sócio do Bichara Advogados, afirma que há duas interpretações para esse artigo. A primeira é que só será possível a Justiça ou uma lei conceder ou estender o benefício previdenciário se previamente houve o custeio. Ou seja, se há previamente um dinheiro separado para pagar aquele benefício previdenciário a ser concedido judicialmente.

Outra leitura é a de criar uma obrigação adicional à Justiça ou ao legislador de indicar uma fonte de custeio ao conceder, aumentar ou estender um benefício previdenciário. Ou seja, a Justiça vai ter de indicar de onde sairá o dinheiro que vai bancar o benefício. No caso de um trabalhador da inciativa privada que entra com um pedido de aposentadoria especial, a Justiça poderá indicar – por exemplo – que a própria empresa empregadora terá de bancar a conta, e aí caberá à Receita Federal cobrar.

Taniguchi diz que a primeira leitura, de custeio prévio, pode ser considerada inconstitucional, já que fere uma cláusula pétrea da separação entre os Poderes. Por isso, deve prevalecer a segunda leitura sobre o artigo.

Agora, na comissão especial, que discute o conteúdo da reforma, os deputados podem acrescentar, retirar ou mudar trechos da PEC. Na reforma da Previdência do governo Temer, caiu na comissão especial um artigo similar aos atuais 43 e 44, que estabelecem a competência exclusiva da Justiça Federal para julgar os casos.

O sócio do Bichara Advogados afirma que o artigo 195 precisa, necessariamente, ser modificado para deixar mais claro qual a sua diretriz, pois há dupla interpretação. E que caso prevaleça a interpretação que que a Justiça só deverá indicar fonte de custeio, que se dê direito ao contraditório. Sobre os artigos 43 e 44, o advogado diz que cabe aos parlamentares julgar se eles são adequados ou não.

Taniguchi ressalta, porém, que para se tentar diminuir de fato o contencioso judicial, ou seja, os benefícios previdenciários concedidos por ordem judicial, é preciso olhar para causa, e não para o efeito. “Eu particularmente vejo que eles [o governo] estão tentando resolver o efeito, e não a causa. E tentar resolver no fim da história pode não trazer o resultado esperado”.

Ele explica que dois principais motivos levaram ao aumento de ações judiciais previdenciárias no passado recente. A primeira seriam os pentes-finos do INSS e a segunda a própria crise econômica. E que o governo deveria, na sua visão, atacar essas causas para diminuir o número de processos judiciais.

“A gente viu um grande aumento de litigo após algumas medidas tomadas pelo governo que não são incorretas, como pente-fino no INSS. Muitos benefícios foram cortados devidamente, mas muitos que não deveriam foram, seja para atingir uma expectativa do governo em relação a redução de custo ou por erro técnico na perícia do INSS. E a crise econômica também acelera a busca pelo benefício”, explica Taniguchi. “Por isso, para tentar diminuir o contencioso eu preciso olhar para a causa. É crise? É fraude? E tomar ações conjuntas”, completa."



© 2014 Bichara Advogados

Luiz Gustavo A. S. Bichara

bichara@bicharalaw.com.br Idiomas

Área de atuação

Consultoria e Contencioso Cíveis e Contratos

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec in ligula id sem tristique ultrices eget id neque. Duis enim turpis, tempus at accumsan vitae, lobortis id sapien. Pellentesque nec orci mi, in pharetra ligula. Nulla facilisi. Nulla facilisi. Mauris convallis venenatis massa, quis consectetur felis ornare quis. Sed aliquet nunc ac ante molestie ultricies. Nam pulvinar ultricies bibendum. Vivamus diam leo, faucibus et vehicula eu, molestie sit amet dui. Proin nec orci et elit semper ultrices. Cum sociis natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Sed quis urna mi, ac dignissim mauris. Quisque mollis ornare mauris, sed laoreet diam malesuada quis. Proin vel elementum ante. Donec hendrerit arcu ac odio tincidunt posuere. Vestibulum nec risus eu lacus semper viverra.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec in ligula id sem tristique ultrices eget id neque. Duis enim turpis, tempus at accumsan vitae, lobortis id sapien. Pellentesque nec orci mi, in pharetra ligula. Nulla facilisi. Nulla facilisi. Mauris convallis venenatis massa, quis consectetur felis ornare quis. Sed aliquet nunc ac ante molestie ultricies. Nam pulvinar ultricies bibendum. Vivamus diam leo, faucibus et vehicula eu, molestie sit amet dui. Proin nec orci et elit semper ultrices. Cum sociis natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Sed quis urna mi, ac dignissim mauris. Quisque mollis ornare mauris, sed laoreet diam malesuada quis. Proin vel elementum ante. Donec hendrerit arcu ac odio tincidunt posuere. Vestibulum nec risus eu lacus semper viverra.

Luiz Gustavo A. S. Bichara

bichara@bicharalaw.com.br Idiomas

Área de atuação

Consultoria e Contencioso Cíveis e Contratos

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec in ligula id sem tristique ultrices eget id neque. Duis enim turpis, tempus at accumsan vitae, lobortis id sapien. Pellentesque nec orci mi, in pharetra ligula. Nulla facilisi. Nulla facilisi. Mauris convallis venenatis massa, quis consectetur felis ornare quis. Sed aliquet nunc ac ante molestie ultricies. Nam pulvinar ultricies bibendum. Vivamus diam leo, faucibus et vehicula eu, molestie sit amet dui. Proin nec orci et elit semper ultrices. Cum sociis natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Sed quis urna mi, ac dignissim mauris. Quisque mollis ornare mauris, sed laoreet diam malesuada quis. Proin vel elementum ante. Donec hendrerit arcu ac odio tincidunt posuere. Vestibulum nec risus eu lacus semper viverra.

Luiz Gustavo A. S. Bichara

bichara@bicharalaw.com.br Idiomas

Área de atuação

Consultoria e Contencioso Cíveis e Contratos

Envie para um amigo